O formato do corpo de quem tem medo do abandono

EmagreSer Integral

O formato do corpo de quem tem medo do abandono

08/11/2019

Será que todas as pessoas sentem medo do abandono?

Em alguma medida sim… mas existe uma parcela de pessoas que sente de uma forma muito mais intensa e isso se deve ao período da amamentação.

Todos nós passamos por um processo de desenvolvimento estrutural no período entre a gestação e aproximadamente os 5 anos de idade.

Nesse período passamos por cinco fases de desenvolvimento e em cada fase experimentamos uma das 5 sensações básicas: rejeição, abandono, manipulação, humilhação e traição.

Esse processo é comum a todos os seres humanos e, a depender de como você viveu cada fase, seu corpo registrou essas experiências e estruturou o funcionamento da sua mente, desenvolvendo o formato do seu corpo.

As pessoas que passaram pelo período da amamentação de forma mais intensa, viveu também, de forma mais intensa a segunda sensação básica… o MEDO DO ABANDONO.

Esse medo passa a ser o ponto vulnerável durante toda vida.

Essas pessoas, no período da amamentação, mamaram demais ou não se sentiram atendidas em suas necessidades e isso acentuou a sensação de ser abandonada.

Esse registro vai dar ao corpo um formato mais arredondado, muitas vezes com aspectos infantis e um olhar que conecta muito. São pessoas extremamente comunicativas, adoram contato com pessoas, não conseguem ficar sozinhas muito tempo, são pessoas extremamente sentimentais e morrem de medo de serem abandonadas.

Percebe que essas pessoas necessitam de conexão?

Se você se identifica com esses aspectos e está enfrentando dificuldades no seu processo de emagrecimento, é fundamental que você observe suas relações e funções.

Você é uma pessoa que precisa de acolhimento e expressar o que sente e se em alguma relação esse acolhimento não está acontecendo, você tem medo que essa pessoa te abandone. Faz sentido?

Se sim… perceba que, quanto mais medo de ser abandonada, mais você recorre a comida para tentar suprir o seu vazio interno.

É preciso cuidar dessa relação e encontrar uma forma de se sentir conectada… se não for possível a conexão com a pessoa envolvida, busque outras conexões… você precisa estar junto com pessoas e de preferência, pessoas que sejam capazes de te escutar sem exigir explicações.

Agora, me conta… como você se sente depois de ler esse artigo?

Laura Cavalcanti

Olá,

o que você achou deste conteúdo? Sua opinião é muito importante pra mim...

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *