Choro não é para os fracos - Descubra o que está por trás dessa verdade

EmagreSer Integral

Choro não é para os fracos - Descubra o que está por trás dessa verdade

Seja você, também, uma mulher de essência

Faça parte da lista da Laura e receba conteúdos exclusivos com prioridade

A gente aprende que chorar é coisa de gente fraca, certo?

É muito comum os pais falarem para os filhos pequenos…

  • Engole esse choro!
  • Homem não chora!
  • Isso é hora de chorar?
  • Chega de chorar, menina!
  • Vai chorar no seu quarto!
  • Não aguento mais o seu choro!

Eu sei que não é fácil e posso apostar que você já enfrentou algum desses momentos na infância, quando quis chorar e não recebeu autorização para chorar o que precisava.

Talvez você ainda enfrente essa mesma dificuldade… 

Afinal, a vida também ensina que adulto que chora é fraco, molenga, não tem firmeza na vida.

Para início de conversa é preciso entender que os pais, em geral, quando reprimem o choro dos filhos estão tentando educá-los… foi assim que eles aprenderam e, assim, eles ensinam.

Pode ser, inclusive, que você esteja replicando esse ensinamento para seus filhos. E tudo bem… sendo a intenção positiva, não há porque se culpar.

Sendo assim, também não há porque culpar os seus pais.

Eles fizeram o melhor que podiam e você também está fazendo o seu melhor com seus filhos.

Agora que você já desencanou da culpa, o momento é de assumir sua responsabilidade.

Se você não estiver disposta a se responsabilizar pela sua vida e pela educação dos seus filhos, nem continue a ler esse artigo.

Se estiver disposta, vamos lá…

Se você sente vontade de chorar em vários momentos é porque na sua fase de amamentação você não se sentiu devidamente atendida em suas necessidades.

Com a Análise Corporal, olhando para o formato do corpo eu posso dizer como a mente funciona e, se o período da amamentação foi o mais desafiador, essa informação estará visível no corpo.

Quando a fase de amamentação é a mais dolorida, o bebê desenvolve o choro como recurso para não se sentir abandonado e para garantir que alguém cuide dele. É o famoso “botar a boca no mundo”. Isso é super normal.

A questão é que ao longo da vida esse recurso continua disponível para ser usado. Nesse caso, a pessoa será extremamente sensível e vai usar o choro como forma de se expressar.

E tudo bem novamente…

Pessoas que viveram a fase de amamentação de forma mais dolorida leva para a vida uma necessidade visceral de preenchimento. Quando vive uma dor ela busca algo para preencher, principalmente, preencher pela boca.

Além de chorar, ela vai comer demais, beber demais, etc… e se tiver chance, vai falar demais de forma desordenada e desesperada. Se não tiver chance de falar, vai comer mais. Por isso que é tão difícil emagrecer, entende?

– Então, Laura, eu não tenho saída?

– Muito pelo contrário… você pode descobrir um mundo de recursos que você desenvolveu desde o início da sua vida e que, por falta de conhecimento, você não consegue usá-los de forma assertiva.

Quanto ao choro, você precisa entender que ele é um recurso e você não só pode, como merece usá-lo. Se tiver vontade de chorar, chore.

O choro te ajuda a botar para fora o que você sente, mesmo que não tenha clareza sobre seus sentimentos.

Mas não é só o choro que você pode usar como recurso. Analisando o formato do seu corpo e descobrindo como sua mente funciona você descobre muitos outros recursos para cuidar de si. São recursos que você mesma usa para atender suas necessidades e, assim, deixar de depender do outro para cuidar de você. Agora você é uma adulta, certo?

Aqui entra a responsabilidade. É certo que você precisa ter suas necessidades atendidas. Quando era bebê você dependia de alguém para cuidar de você, mas agora que já é uma adulta, é da sua responsabilidade criar esse espaço de autocuidado.

mas por hora, fique com essa afirmativa…

O choro é recurso e você pode chorar sim!

Ps: Se você ainda não se cadastrou para receber os conteúdos exclusivos do Blog da Laura, faça isso agora. Vamos continuar conversando sobre esses assuntos que são relevantes para você Ser uma Mulher com Presença e Essência. Role a página para cima ou para baixo que você encontra o lugar para se cadastrar.

Nos encontramos no próximo papo…

Laura Cavalcanti – Psicóloga

Olá,

o que você achou deste conteúdo? Sua opinião é muito importante pra mim...

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba conteúdos exclusivos

Seja uma mulher de essência!